quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

Rosário




Dispersão

Tentei chegar ao seu coração, juro, mas parei sempre nos primeiros degraus, boca, pele ou pau.


Incapacidade total

Com os olhos ele a desnudou, mas com o pau mole a vestiu.


Teclado

Sou modesta. Festa pra mim muitas vezes são só dois dedos de prazer.



Brincar disso

Você é um playground inteiro. Desde que te conheci não precisei mais trocar de joystick.


(*) exercício de minicontos da oficina "Escrevendo com Erotismo", comandada pelo grande escritor, especialista no assunto Marcelino Freire

(**) a obra acima é do austríaco Manfred Deix, fera na arte de caricaturar o absurdo



9 comentários:

Gaby Almeida disse...

Legal... eu até ja tentei escrever assim, mas num deu muito certo naum...

Compulsão Diária disse...

Belezura de amostra. Oficina das boas, essa, hein?
Seu humor. como de praxe, surpreende e agrada.
Teclado é nada modesto, enfim! Essa é boa!

Fernanda Teixeira disse...

Textos simples e cheios de conteúdo. É literatura mesmo. beijos.

JULIO CARVALHO disse...

o tom do arrepio muda
conforme a direção do toque

mas se essa água se confunde
com a de banho a de língua a de
exercício das temperaturas
é só treinar, é só treinar

in http://www.achuvaimovel.blogspot.com

Marcos disse...

Que maravilha! Tenho que admirar, prolixo que sou.

Bruno Cobbi disse...

Ás vezes, um dedo só basta. Ás vezes nem dos dedos precisa.

Amei o teclado, só não gopstei do título. Sugestão?

Modesta
Festa pra mim muitas vezes são só dois dedos de prazer.

Amo-te, vampira.

Chris Sevla disse...

Oi, Mulher de Nomes Sexies!
Te falei que vivi na "dispersão", né?
Lembrei-me da discussão do "boca/pau" (pica-pau) e deu saudades desses encontros...
O comentário do Bruno foi tudo!
Beijos e você sabe que é muito boa no que faz!
Chris

Laura Fuentes disse...

Saudade de vocês todos, Chris, Marcos, Julinho, Compulsão, vocês me inspiram e me estimulam sempre. Obrigada Fê pela força de sempre, e você, Bruno, amei a sugestão.

Marco Antonio disse...

Laura!

Teclado já era maravilhoso ainda quando chamava INTIMIDADES. Estes teus "textículos" encerram uma história inteira, com começo, meio e fim.